Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Último Reduto

O pensamento é o meu refúgio, o último reduto daquilo que sou.

Último Reduto

O pensamento é o meu refúgio, o último reduto daquilo que sou.

Em Ferrol

Vindos da Corunha e chegados a Ferrol ainda cedo, permitiu-nos começar por dar uma volta pela cidade. A Corunha – ao contrário de Ferrol – é uma cidade com vida, cosmopolita, em constante disputa ao nível da dimensão e importância com a cidade de Vigo. É a rivalidade mais feroz da Galiza! Já Ferrol, uma cidade banhada pela ria com o mesmo nome, é virada para a indústria naval, que com a crise entrou em constante declínio. Esta dependência exclusiva da indústria naval tem conduzido à sua morte lenta. A população começou a deslocar-se para o concelho vizinho de Narón, bastante mais industrializado e com construções mais recentes. O centro de Ferrol deixa à vista de todos uma crise que se estendeu ao mercado imobiliário, a prédios em ruínas, ao abandono, à decadência. Decidimos voltar de tarde para ver se o ambiente melhorava, mas a ausência de pessoas na rua em contraste com o que se passou na Corunha – onde a vivacidade está patente e fervilhante – levou-me a tomar a dianteira do nosso destino e a afastar-nos da cidade.

Almoçar em Espanha para nós é um problema. Gostamos de comer cedo, e os horários que praticamos em Portugal são diferentes em Espanha. Apesar de até agora as refeições nos deixarem muito a desejar, decidimos comer perto do nosso alojamento nos arredores de Narón. Os galegos conhecem-nos, sabem que mantemos o hábito de comer muito mais cedo do que eles, e neste caso, prontificaram-se a abrir mais cedo a cozinha para nos servirem umas barriguinhas de porco e cerveja da boa. Perto de nós encontravam-se umas instalações industriais cujo nome da empresa é Megasa. O nome dizia-me alguma coisa, mas só depois me ocorreu que foram estes senhores que compraram a nossa Siderurgia Nacional. Num passeio a pé, já ao início da noite pela marginal junto à Ria de Ferrol, apercebi-me quão barulhenta é aquela unidade. Intrigou-me que só se dê pela actividade daquela empresa naquele local e não do lado oposto onde se situa uma zona residencial, onde também estávamos alojados. São as maravilhas da acústica que aqui são muito bem aplicadas!

Não partimos sem antes ter ido ao Farol do Cabo Prior. Sempre que posso visito faróis, uma das construções que mais gosto em concordância com o fascínio que o mar e a actividade da navegação me transmite. A envolvência do farol está marcada pelas ruínas do conjunto de baterias militares do Cabo Prior. Este conjunto de baterias foi um dos que foi construído na região para dissuadir a aproximação de navios de guerra, uma vez que grande parte da armada espanhola se encontrava ancorada em Ferrol. Do farol às baterias, e sempre em pano de fundo, vemos a maravilhosa Praia de Santa Comba. Esta apresentaria umas águas bem gélidas e cristalinas, acompanhadas de um desagradável vento, factores que se esquecem rapidamente com o valor paisagístico.

Praia de Santa Comba